EUA: ameaçada observação climática por satélite

A capacidade dos Estados Unidos de medirem, via satélite, a diminuição do gelo ártico e outros fenômenos climáticos, está ameaçada por falta de recursos federais, advertiu em relatório recente a Academia Americana de Ciências. A maior parte dos satélites de observação terrestre da Nasa (agência espacial americana) já superou sua vida útil prevista, e provavelmente diminuirá em 40% até 2010, segundo os cientistas da Academia. Esta diminuição das capacidades de vigilância e medição ocorre em um momento em que a grande maioria dos cientistas do governo George W. Bush destaca a crescente importância dos artefatos para medir os recursos naturais, os riscos vinculados ao aquecimento climático e as catástrofes naturais.

Além da queda do orçamento federal, os autores do documento responsabilizam o governo por sua ênfase em missões tripuladas para Lua e Marte, em detrimento dos recursos dedicados às ciências na Terra. Em seu relatório, os cientistas propõem reservar 7,5 bilhões de dólares até 2020 para novos instrumentos e satélites.

De acordo com eles, esta quantia permitirá satisfazer as diferentes prioridades científicas, ao mesmo tempo em que manterá os custos anuais ao nível orçamentário do ano 2000. “É o período mais crítico da história da humanidade, com uma população que nunca foi tão numerosa e com crescentes pressões sobre o meio ambiente terrestre”, declarou ao jornal New York Times Richard A. Anthes, co-presidente do comitê que redigiu o relatório e novo presidente da Sociedade Meteorológica americana. (AFP/ Terra)