Plantação de transgênicos bate recorde mundial em 2006

Um grupo de defesa da biotecnologia informa que um número recorde de lavouras geneticamente modificadas foi plantado em todo o planeta em 2006, ao mesmo tempo em que críticos das produções transgênicas afirmam que os supostos avanços não vão além da criação de variedades resistentes a pragas, não mais nutritivas, e que boa parte da produção foi destina ao consumo animal, o que minaria a alegação de que a biotecnologia ajuda a reduzir a fome no mundo.

A despeito das críticas, o grupo Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações Agribiotecnológicas, apoiado pela indústria do setor, apresentou o recorde como evidência de que lavouras criadas para reduzir o uso de pesticidas podem aliviar a pobreza e beneficiar financeiramente os pequenos produtores.

Cerca de 10,3 milhões de fazendeiros, em 22 países, cultivaram produtos geneticamente modificados em 101 milhões de hectares em 2006, 13% a mais que em 2005, de acordo com o relatório. Cerca de 9,3 milhões desses fazendeiros são considerados agricultores de subsistência.

Estados Unidos, Argentina e Brasil são os três países que mais cultivaram transgênicos no ano passado, na maior parte, soja. A Índia triplicou sua área de algodão transgênico, para 3,8 milhões de hectares. (Estadão Online)