Começou período da andada do caranguejo no Espírito Santo

O Ibama no Espírito Santo, estabelece medidas de gestão para a captura e consumo dos caranguejos dos tipos Uçá e Goiamum, considerando a necessidade de proteção e controle do ecossistema do manguezal, por meio da conscientização e participação da sociedade organizada e órgãos de fiscalização nas esferas municipal, estadual e federal.

Após reuniões realizadas com municípios do Estado do Espírito Santo, juntamente com a Universidade Federal do Espírito Santo / UFES, Instituto Goiamum, Sindicato de Bares e Restaurantes e Associação de Catadores de Caranguejos, ficou decidido que está proibida a captura, manutenção em cativeiro, transporte, beneficiamento, industrialização, armazenamento e comercialização de quaisquer caranguejos vivos, que não tenham sido previamente declarados, bem como as partes isoladas (quelas, pinças ou garras), durante a época de andada, período reprodutivo em que caranguejos, machos e fêmeas, saem de suas galerias e andam pelo manguezal para acasalamento e liberação de larvas, durante os períodos de 17 a 23 janeiro, 15 a 21 de fevereiro, 16 a 22 de março e 14 a 20 de abril de 2007.

O transporte intermunicipal e municipal da espécie viva, só poderá ser feito até o 2º dia do início de cada período de andada, por meio da respectiva declaração de estoque e guia de transporte.

A pena para quem infringir a lei varia de três meses a dois anos de prisão, cabendo fiança ao infrator, além da multa, que varia de R$ 700 a R$ 20 mil, mais R$ 10 por cada quilo de caranguejo apreendido.

Na madrugada de quinta-feira (18), foi registrado um expressivo número de caranguejos em andada na área do manguezal da UFES e Ponte da Passagem, em Vitória, e também na região do córrego Manguinhos, na Serra, onde por cerca de quatro horas, o trânsito teve de ser interrompido por diversas vezes para a passagem dos crustáceos pela pista. (Alyson Segundo/ Ibama)