Compensação de carbono pode ser prejudicial

Pessoas que aderiram à nova mania de comprar carbono estão sendo aconselhadas pelo governo do Reino Unido a checar o que estão comprando antes de pagarem por isso. Alguns esquemas de compensação podem estar causando danos ao meio ambiente nos países em desenvolvimento sem combater as mudanças climáticas.

O secretário do Meio Ambiente britânico, David Miliband, irá anunciar o início de uma consultoria governamental que fará do Reino Unido o primeiro país com um padrão nacional para testar esquemas de compensação de carbono. Miliband deverá alertar consumidores para ficarem receosos quanto a esquemas envolvendo plantações de árvores e para direcionarem seu dinheiro a projetos mais seguros, como a geração de energia elétrica a partir de resíduos de suínos no México, por exemplo.

O objetivo da compensação de carbono é anular o efeito das emissões de carbono em uma parte do mundo por meio de investimentos em projetos que reduzam as emissões de carbono em outros lugares ou que retirem o carbono da atmosfera.

No último ano, o governo se comprometeu a compensar cada milha aérea viajada pelos ministros ou funcionários públicos em viagens oficiais por meio da compra de duas toneladas de compensações para cada tonelada de carbono emitido.

No entanto, ambientalistas temem que grandes poluidores passem a comprar compensações de carbono para ficarem com a consciência limpa ao invés de realmente cortar as emissões em viagens aéreas. O líder da campanha de energia do Greenpeace, Charlie Kronick, disse: “os cientistas advertem que precisamos cortar nossas emissões de carbono, mas há um risco de que a moda da compensação de carbono possa incentivar as pessoas a fazerem viagens desnecessárias”.

Os ecologistas também questionam o valor de alguns dos esquemas vendidos por empresas privadas. Plantação de árvores em larga escala pode prejudicar o meio ambiente e a subsistência no Terceiro Mundo, especialmente aonde não há grande variedade de espécies para serem plantadas. “Comprar compensações florestais não contribuem para reduzir a dependência da sociedade dos combustíveis fósseis – algo que ultimamente é essencial para se frear as mudanças climáticas”, diz Kirsty Clough, do WWF. (The Independent/ CarbonoBrasil)