Ibama e comunidade devolvem mais de meio milhão de tartarugas ao Rio Xingu

Técnicos do Ibama, pescadores, agricultores, ribeirinhos e centenas de voluntários entre jovens, crianças e adultos participaram da ação promovida pelo Centro de Conservação de Manejo de Répteis e Anfíbios (RAN) do Ibama, com sede em Goiânia, que devolveu 624.913 Tartarugas da Amazônia (Podocnemis expansa), no período de 20 de dezembro a 15 de janeiro, ao rio Xingu.

A devolução dos filhotes de tartarugas ao rio Xingu é fruto do resultado do trabalho efetivado pelos técnicos do Ibama há 25 anos, na base do Ibama no Tabuleiro da Embaubal no rio Xingu, município de Senador José Porfírio, a 800 quilômetros da
capital Belém.

Segundo o relatório assinado pelo biólogo Pedro Birro Rosa, e pelo analista ambiental do Ibama em Altamira Carlos Renato Leal Bicelli foram arrecadados dentro da área cercada da praia do Juncal 656.087 filhotes de tartarugas; na praia do Puruna, 96 filhotes e, na Praia do Cipó Pitanga, 112 filhotes.

Portanto, o total de filhotes arrecadados, até o dia 15 de janeiro, foi de 658.533 (seiscentos e cinqüenta e oito mil e quinhentos e trinta e três) filhotes de quelônios. Deste total, 30 mil filhotes foram entregues aos criadouros comerciais registrados no Ibama na região do Xingu.

Os urubus devoraram 2.129 filhotes, no tabuleiro. Este animal silvestre é o principal predador no tabuleiro dos quelônios. Ainda foram arrecadados 109 filhotes mortos no ninho por afogamento na cova, devido o crescimento da maré que atinge o ninho. 1.382 filhotes (0,21%) do total arrecadados no tabuleiro morreram no viveiro durante processo de manejo.

O trabalho do Ibama tem o apoio da Fundação José Rebelo do Xingu, da prefeitura Municipal de Senador José Porfírio, de escolas da rede municipal e estadual e ONGs ambientalistas da região de Altamira. (Edson Gillet Brasil/ Ibama)