Proibida a cata do caranguejo-uçá no Piauí

A partir desta segunda-feira (22), o Ibama do Piauí proíbe a cata de caranguejo em todo o Estado. A determinação visa proteger o crustáceo no período da chamada “Andada”, época de reprodução do caranguejo-uçá. Somente na região do Delta do Parnaíba, no litoral piauiense, são capturados todos os anos, cerca de 5 milhões de caranguejos.

A proibição da cata do caranguejo implica também na declaração de estoque de bares, restaurantes e churrascarias para o Ibama. Proprietários desses locais devem apresentar ao órgão a quantidade desses animais. De acordo com o Superintendente do Ibama no Piauí Ricardo Moura Fé a intenção é controlar a venda do produto para evitar a caça predatória nos manguezais.

O período de reprodução da cata foi dividido em quatro. O primeiro começa hoje (22) e vai até o dia 25 de janeiro. O segundo acontece entre 19 e 23 de fevereiro e o terceiro entre 19 e 23 de fevereiro e o quarto entre 21 e 25 de março. Neste período, também conhecido como “Defeso”, os caranguejos saem da toca para o acasalamento e reprodução da espécie.

O caranguejo é um importante recurso pesqueiro na região Nordeste, gerando renda e melhoria de vida para as comunidades extrativistas. Todavia, a captura elevada da espécie tem acarretado a redução de suas populações em diversos estados do país. Na região do Delta do Parnaíba, o caranguejo-uçá representa a maior parte das capturas de pescado, porém ainda não existem estudos sobre a abundância e o esforço de pesca nessa região.

Dados publicados pelo Ibama indicam que na região do Delta do Parnaíba, que engloba os Estados do Piauí e do Maranhão, existem cerca de 6.500 catadores de caranguejo. (Ibama)