Britânicos impedem circulação de aves para conter vírus H5N1

O governo britânico determinou nesse domingo, 4, restrições à circulação de aves domésticas no país, para tentar prevenir o contágio por milhares de aves britânicas infectadas com o vírus da gripe aviária em uma fazenda no Leste da Inglaterra.

A descoberta do vírus na versão H5N1 na fazenda administrada pelo principal criador de perus da Europa surpreendeu especialistas e aumentou o questionamento sobre como o vírus pode ser introduzido dentro de um local completamente fechado.

No entanto, o Departamento de Meio Ambiente, Alimentos e Assuntos Agrários (Defra, na sigla em inglês) expressou otimismo prevendo que o vírus tenha ficado confinado na fazenda de Bernard Matthews, perto de Lowestoft, no município de Suffolk. “Obviamente, precisamos ficar bem vigilantes nos próximos dias”, disse um porta-voz.

O abate de 159 mil aves na fazenda, que começou no final de sábado, deve continuar por mais dois dias. As aves mortas foram levadas da fazenda para serem incineradas.

Cerca de 2.500 aves morreram na expansão inicial do vírus, o qual parece estar confinado em um dos 22 galpões da fazenda. O Defra informou que o vírus é o mesmo detectado na Ásia no último mês .

A propagação do vírus na fazenda britânica aconteceu após um momento de calmaria em relação as casos de gripe aviária na Europa desde que a França registrou a morte de centenas de aves em uma fazenda no leste do país há um ano.

Desde 2003, o vírus da gripe da aviária já matou ao menos 165 pessoas em todo o mundo, a maioria delas na Ásia. Mais de 200 milhões de aves morreram por conta do surto ou foram mortas por precaução.

No entanto, esse casos ainda não constataram a maior preocupação dos cientistas, que é a fácil transmissão do vírus entre humanos.
(Fonte: Reuters / Estadao.com.br)