Brasil criará sistema de alerta contra secas no Nordeste

O governo brasileiro vai criar um sistema para prever a ocorrência de grandes períodos de seca no Semi-Árido e apontar as áreas suscetíveis a um processo de desertificação desencadeado por mudanças climáticas.

Batizado de Sistema Brasileiro de Alerta Precoce de Secas e Desertificação, o projeto começará a ser discutido nesta quinta-feira (8) entre órgãos como o Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e o Ministério do Meio Ambiente.

De acordo com o hidrólogo Javier Tomasella, um dos representantes do Inpe no desenvolvimento do projeto, a criação e implantação do sistema deverá levar entre dois e três anos e custará entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões.

“Na visão do Inpe, esse sistema teria várias ações. Primeiro, existe a idéia de trabalhar a questão mais imediata, que são as grandes secas episódicas que atingem a região”, disse Tomasella.

“Outra seria a criação de uma ferramenta de diagnóstico para identificar as áreas mais afetadas pela degradação ambiental e mais suscetíveis à desertificação.”

O Nordeste e o extremo norte de Minas Gerais deverão ser os focos do sistema. Nessas regiões, o risco de surgimento de áreas semelhantes a desertos é maior.

“Num cenário de mudanças climáticas, o Nordeste brasileiro deverá ter temperaturas mais altas e menor volume de chuvas. Como a região tem um clima semi-árido, a longo prazo ela pode ficar árida”, disse Tomasella. (Fábio Amato/ Folha Online)