Calor matará 15 mil pessoas ao ano na Alemanha, diz instituto

As ondas de calor provocadas pela mudança climática provocarão, ao ano, 15 mil mortes a mais e perdas econômicas de € 10 bilhões (R$ 26 bilhões), segundo previsões feitas para a Alemanha por especialistas do instituto econômico IfW de Kiel.

Em um estudo publicado nesta quinta-feira (8), os especialistas calculam que entre 2071 e 2100 a economia alemã sofrerá, por causa da mudança climática, perdas de entre 0,1% e 0,5% de seu PNB – Produto Nacional Bruto, o que representa € 10 bilhões.

Os especialistas partem de um aumento das temperaturas de até 6,4º C e de um aumento do nível do mar de até 50 centímetros até 2100.

No entanto, o estudo, elaborado por encomenda do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), não leva em conta possíveis medidas extras de prevenção, como a instalação de sistemas de ar condicionado ou um maior cuidado dos idosos em residências e hospitais.

“São estimativas e, portanto, números incertos”, reconheceu o autor do relatório, Gernot Klepper.

As perdas econômicas se baseiam, por exemplo, em um previsível aumento de até 150 mil internações anuais por problemas derivados do calor.

Embora também se estime que o número de mortos pelo frio cairá, esta queda será consideravelmente inferior ao aumento das mortes por calor, segundo Klepper.

O instituto tomou como referência 16 cidades alemãs, para as quais calculou o número de dias em que as temperaturas subirão acima de 32º C. O maior aumento será registrado provavelmente no sul da Alemanha. (Efe/ Estadão Online)