Brasil e Estados Unidos estudam produzir etanol na América Central e Caribe

A ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, afirmou que o encontro com o subsecretário norte-americano para Assuntos Políticos, Nicholas Burns, nesta quinta-feira (8), foi muito produtivo. Para Dilma, a vinda de Burns ao Brasil “é muito importante porque introduz a visita do presidente George Bush, no início de março”.

Um comunicado oficial publicado nesta quinta na página da Casa Branca revela que o presidente norte-americano e sua esposa, a senadora Laura Bush, visitarão o Brasil, Uruguai, Colômbia, Guatemala e México entre os dias 8 e 14 de março. Segundo a ministra, o subsecretário teria dito que Brasil e Estados Unidos têm uma boa relação, mas que ela pode se tornar uma grande relação. “Burns manifestou um imenso interesse numa parceria estratégica entre o Brasil e os Estados Unidos para a área de biocombustíveis. O governo norte-americano reconhece que somos um dos protagonistas tanto na questão do etanol, como do biocombustível”.

De acordo com Dilma, o governo norte-americano propõe que ambos os países se unam a fim de produzir etanol em outros países. “Acertamos de fazer um projeto-piloto em um país caribenho ou da América Central. Este projeto será uma porta para outros projetos em várias partes do mundo, onde acharmos oportuno”.

Dilma disse que a sugestão brasileira de priorizar a participação dos investidores privados foi bem aceita pelo representante norte-americano. “Os Estados Unidos também acham que o ator principal nesta cena é o investidor privado, pois é ele que detêm a experiência e a capacidade de gestão”. A ministra também revelou que Burns propôs que seja criado um fórum que reúna dirigentes empresariais de ambos os países. (Alex Rodrigues/ Agência Brasil)