Termômetros de Madri podem ultrapassar 50º C até 2100

As temperaturas na capital da Espanha poderão chegar a 50º Celsius durante o verão até o fim do século, se nada for feito para combater o aquecimento global, disse um relatório do Ministério do Meio Ambiente espanhol nesta terça-feira (13).

E as chuvas no sul da Espanha, que já corre risco de desertificação, podem diminuir até 40%.

O ministério quer convencer os governos das 17 regiões autônomas a se prepararem para o aquecimento global, e a ajudar a contê-lo.

A Espanha é um dos países em que a emissão de carbono mais aumenta, e também é um dos que serão mais gravemente afetados pelo aquecimento global.

O relatório, de 50 páginas, inclui medidas para desencorajar o uso de carros nas cidades, como aumentos nos preços dos estacionamentos e melhora do transporte público.

As residências, aos poucos, devem abandonar os aquecedores a carvão, e os prédios comerciais terão limites rígidos para a eficiência de seus sistemas de calefação e ar condicionado.

O relatório afirma que, no pior cenário, as temperaturas médias no interior da Espanha subirão de 5º C a 8º C até o fim do século. No verão, em julho, os termômetros de Madri hoje chegam aos 40º C. Num cenário menos dramático, o aumento ficaria entre 3º C e 6º C. (Reuters/ Estadão Online)