Esqueletos abraçados ficarão juntos, decidem arqueólogos

O casal pré-histórico descoberto recentemente na Itália continuará em seu abraço de 5.000 anos. Os dois esqueletos, desenterrados na semana passada, serão retirados juntos da terra e passarão por exames antes de entrar em exibição na cidade de Mântua, informam arqueólogos.

Acredita-se que o par, sepultado no período neolítico, seja formado por um homem e uma mulher que morreram jovens, porque os dentes dos esqueletos estão intactos. Arqueólogos saudaram o achado, afirmando que sepultamentos duplos eram raros na época, e nenhum outro jamais havia sido encontrado numa pose tão sugestiva. Mântua fica perto de Verona, o cenário da peça Romeu e Julieta, de William Shakespeare, e desde a descoberta do casal a mídia italiana está cheia de especulações sobre o amor na Idade da Pedra.

Os pesquisadores afirmam que é realmente difícil atribuir a pose dos esqueletos a algo além de uma afeição profunda, mas advertem que será quase impossível determinar a natureza exata da relação entre os dois, ou as circunstâncias da morte.

O gabinete arqueológico de Mântua informa, em nota, que em alguns casos do período neolítico, a mulher era sacrificada quando o marido morria, e acabava sepultada com ele. Mas a nota destaca que não há, ainda, evidência dessa prática em relação ao casal recém-descoberto. (Estadão Online)