Bloqueio de verba trava desenvolvimento sustentável, diz ambientalista

Com um terço de seu orçamento bloqueado, o Ministério do Meio Ambiente vai ter R$ 15,7 milhões a menos em caixa para investir este ano. A redução de verba para a área e o aumento de investimento em infra-estrutura são vistos por entidades ambientalistas como um sinal de que o governo federal vai privilegiar um modelo de desenvolvimento que não é sustentável.

“O governo quer construir uma infra-estrutura voltada para a exportação de produtos agrícolas e de minérios, em vez de estimular o desenvolvimento que contemple a integração entre o meio ambiente, a economia e o social”, analisa Temístocles Marcelos, secretário-executivo do FBOMS – Fórum Brasileiro de Organizações Não-Governamentais e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento. “Essa decisão da equipe econômica trava o desenvolvimento sustentável do Brasil”.

Procurado pela Agência Brasil, o Ministério do Meio Ambiente informou que não vai se pronunciar sobre o assunto.

O bloqueio de R$ 212,7 milhões do orçamento do Ministério do Meio Ambiente deixa a pasta com menos recursos que em 2006 (R$ 454 milhões) e menos que em 2005 (R$ 482 milhões).

“Acho preocupante um governo que se diz comprometido com o meio ambiente bloquear recursos de uma área tão importante para o Brasil”, diz Jairo Costa, presidente da Fundação Brasileira para a Conservação da Natureza, entidade que integra o Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Costa considera o corte de verbas um atraso, principalmente ao se levar em conta o tamanho da biodiversidade do país. (Wellton Máximo/ Agência Brasil)