Ibama aumenta fiscalização do defeso na Amazônia e apreende pescado irregular

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aumentou o ritmo da fiscalização nos rios da Amazônia, para coibir a pesca nos períodos de defeso – época de reprodução dos peixes, em que fica proibida a pesca, a fim de evitar a extinção das espécies. Com esse objetivo, realizou operação nas proximidades de Manaus, entre os dias 8 e 14 deste mês, quando apreendeu 33 mil quilos de pescado comercializados irregularmente.

O balanço da operação foi divulgado pelo chefe da Fiscalização do Ibama em Manaus, Adilson Cordeiro. Segundo ele foram inspecionadas mais de 40 embarcações pesqueiras, além de frigoríficos da região. O que chamou mais a atenção, revelou ele, foi o esquema de distribuição e venda montado pelo frigorífico Dourado, de Iranduba, nas margens do Rio Negro, 40 quilômetros ao norte da capital amazonense.

Ele disse que da declaração de estoque do frigorífico em 16 de novembro do ano passado constam mais de 100 toneladas das espécies mapará, curimatã, sardinha, pacu e aruanã. Mas, mesmo tendo feito acordo com o Núcleo de Recursos Pesqueiros do Ibama para emitir notas de venda, com baixas diárias do estoque, o frigorífico não registrava as saídas e utilizava a declaração inicial como documento de comprovação de regularidade para o consumidor.

Adilson Cordeiro disse que o Ibama aplicou multas no valor de R$ 344 mil, no período, e assegura que as operações de fiscalização serão intensificadas para coibir a comercialização irregular. Afirmou, também, que o Ibama distribuiu o peixe em bom estado de conservação para consumo humano – cerca de 12 mil quilos – para 30 entidades de assistência às populações carentes.
(Fonte: Stênio Ribeiro / Agência Brasil)