Descoberto planeta com menos de o dobro do tamanho da Terra

Cientistas da colaboração internacional que trabalha com o satélite Corot anunciaram a detecção do menor planeta já descoberto fora do Sistema Solar: um mundo rochoso que talvez contenha água, com menos de duas vezes o diâmetro da Terra.

Esse planeta orbita uma estrela semelhante ao Sol, mas fica a uma distância extremamente pequena de seu astro: 2,5 milhões de quilômetros. Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, tem uma órbita de raio quase 22 vezes maior.

A grande proximidade da estrela faz com que o planeta tenha um “ano” bem curto – cumpre uma volta em torno do astro a cada 20 horas – e uma temperatura elevada, entre 1000º C e 2.000º C. Apesar disso, é possível que contenha água, dizem seus descobridores.

“O planeta parece ser leve demais para o tamanho que tem”, explica Malcolm Fridlund, cientista da Agência Espacial Europeia (ESA) envolvido na descoberta. “Isso significa que poderia, e quero reforçar que se trata de uma mera possibilidade, conter muita água, na forma de gelo misturado à rocha, onde ela estaria protegida da radiação direta de sua estrela. A água então ferve e vira vapor, que fica na atmosfera. Mas esse é apenas um dos cenários possíveis”.

O número de planetas com massa comparável à da Terra, entre os cerca de 330 mundos já localizados fora do Sistema Solar, é muito pequeno: a maioria das técnicas de detecção favorece o descobrimento de mundos de grande massa.

O Corot, por sua vez, é sensível o bastante para procurar por planetas semelhantes à Terra, e é capaz de medir diretamente o tamanho desses corpos. “Ninguém sabe o tamanho do segundo menor planeta extrassolar”, diz Fridlund. “Porque este é o primeiro exoplaneta terrestre cujo diâmetro foi medido com alta precisão”.

O mundo recém-descoberto recebeu o nome de Corot-exo-7b e orbita uma estrela a 425 anos-luz do Sol. Embora seja o planeta mais parecido com a Terra já descoberto e talvez até contenha água, Fridlund considera improvável que abrigue vida, por conta da alta temperatura.

Ainda é possível que o mesmos sistema abrigue outros planetas. “Não temos nada confirmado, mas há sinais de planetas maiores mais longe da estrela”, diz o cientista.

A descoberta do planeta será descrita em artigo enviado à revista especializada Astronomy and Astrophysics. A missão Corot, lançada em 2006, é encabeçada pela agência espacial francesa, mas conta com a colaboração de diversos países, incluindo o Brasil. (Fonte: Carlos Orsi/ Estadão Online)