Petrobras investirá US$ 10,6 bilhões na área de gás e energia até 2013

A Petrobras anunciou na terça-feira (10) o aumento de 70% de seus investimentos em gás natural e energia nos próximos cinco anos. O valor subiu de US$ 6,2 bilhões, previstos para o período 2008-2012, para US$ 10,6 bilhões até o ano de 2013. Essa previsão para o segmento de gás e energia consta do Plano de Negócios da empresa de 2009 a 2013.

Ao detalhar os investimentos e projetos da companhia para o setor, a diretora de Gás e Energia da Petrobras, Maria das Graças Foster, informou que a meta para 2013 é de atender a uma demanda de 135 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

Deste total, 73 milhões de metros cúbicos por dia serão provenientes da produção nacional, mantendo a importação de cerca de 30 milhões de metros cúbicos/dia da Bolívia e complementando a oferta com os 32 milhões de metros cúbicos diários decorrentes das plantas de gás natural liquefeito (GNL).

A diretora esclareceu que a empresa trabalha com o objetivo de “fortalecer a liderança da companhia no mercado brasileiro de gás natural, com atuação internacional, e ampliação do negócio de geração de energia elétrica no país, estabelecendo flexibilidade no suprimento e no atendimento às demandas, bem como flexibilizando a oferta aos mercados térmico e não-térmico”.

Graça Fostes esclareceu, ainda, que do total previsto para investimento nos próximos cinco anos US$ 5,2 bilhões serão em novos projetos e US$ 5,4 bilhões, em projetos já em andamento.

A empresa deverá destinar para o setor de GNL cerca de US$ 3 bilhões, que deverá contar com uma terceira unidade de produção de GNL e uma outra onshore (em terra), que terá característica híbrida (de gaseificação e regaseificação).

Boa parte do investimento (US$ 8,2 bilhões) será destinada à conclusão de obras de expansão das malhas de dutos para transporte de gás nas regiões Sudeste e Nordeste. Um total de US$ 2,4 bilhões será investido na conclusão de usinas termelétricas e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), além da participação em novos negócios como usinas eólicas.

Dos 135 milhões de metros cúbicos diariamente disponibilizados ao mercado, segundo Graça Foster, a Petrobras, uma parcela de 49 milhões se destinarão ao mercado termelétrico, 41 milhões ao industrial, e 45 milhões para outros usos (carros, residências, comércio). (Fonte: Nielmar de Oliveira/ Agência Brasil)