Comida caseira gera mais casos de contaminação

Nas ruas e calçadas, encontra-se todo tipo de comida. Mesmo nas ocasiões em que os vendedores parecem tomar cuidados, há uma oferta de produtos de aparência bem duvidosa. Uma pesquisa do Ministério da Saúde mostrou que esses alimentos podem se tornar ainda mais indigestos quando expostos ao forte calor. De 1999 a 2007, 114 mil brasileiros sofreram contaminações em surtos de doenças provocadas por comida.

A pesquisa também traz uma informação surpreendente. Apesar de a refeição na rua ser a principal suspeita de causar tantos males, o maior número de casos de contaminação ocorreu dentro de casa. Evitar um problema grave de saúde começa na escolha do que vai ser levado para a cozinha. “Eu tenho muito cuidado no armazenamento. Não compro nada exagerado. Compro as coisas que vejo necessárias, principalmente, para a semana. Mais do que isso, não compro”, afirma um senhor.

Para não deixar estragar comida pronta, é preciso ter cuidado na hora de guardar. “Muita gente deixa o arroz na panela para esquentar mais tarde ou prepara um feijão e deixa na panela. Nesse calor, é impossível”, diz uma dona-de-casa.

A pesquisa revelou um vilão nas doenças transmitidas por alimentos. “Boa parte delas é transmitida pela salmonela, algo em torno de 40%. Essa contaminação está muito presente nos ovos e na maionese caseira, que também leva ovos”, explica o nutricionista Luis Claudio Benevenuto.

A salmonela é uma bactéria encontrada em animais, principalmente aves, como a galinha. Ela pode causar intoxicação alimentar, diarréia, dores e até matar. (Fonte: G1)