Replantio e recuperação progressiva da Amazônia serão acompanhados por satélites

Ao participar da inauguração da nova elevatória no final da praia do Leblon, na sexta-feira (13), no Rio de Janeiro, o ministro do Meio Ambiente Carlos Minc anunciou um acordo com o presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Gilberto Câmara, para adoção de uma nova metodologia para o monitoramento do desmatamento da Amazônia que permita acompanhar também o replantio nas áreas desmatadas e a recuperação progressiva da floresta.

O monitoramento por satélite, como é feito hoje, só detecta a degradação progressiva e o corte raso da floresta. O Inpe vai realizar estudos preliminares sobre o tema e em março técnicos do Instituto e do MMA se reúnem para definir como viabilizar a demanda do ministro.

O anuncio foi feito durante a inauguração da nova Estação Elevatória de Esgotos do Leblon, que bombeará o esgoto para o emissário submarino de Ipanema, entregue à população pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e pelo prefeito do carioca, Eduardo Paes . Esta é a quinta elevatória do Programa de Recuperação Ambiental da Lagoa Rodrigo de Freitas e das Praias da Zona Sul que entra em operação.

Minc saudou a conclusão da obra e lembrou que o saneamento do Rio de Janeiro sempre foi uma das suas principais preocupações como cidadão, político e administrador. Como deputado estadual, ele conseguiu aprovar a Lei Estadual que obriga a Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (CEDAE) a fazer auditoria ambiental nas redes de esgoto do estado.

Já como secretário do Ambiente do Rio, Minc reservou R$ 6 milhões de recursos do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam) para recuperação de oito elevatórias do sistema sanitário na Lagoa Rodrigo de Freitas, que estavam com o maquinário estragado.”A recuperação dessa elevatória vai significar menos esgoto sendo jogado na lagoa e também na praia do Leblon”, comemorou o ministro.

A nova elevatória bombeará 1.700 litros de esgotos por segundo, ou seja, 147 milhões de litros por dia, que serão transportados até o Emissário Submarino de Ipanema com maior eficiência, confiabilidade e com redução considerável de custos operacionais.

O evento também contou com as presenças do vice-governador e secretário de Obras do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, da secretária do Ambiente, Marilene Ramos, e do presidente da Nova Cedae, Wagner Victer. (Fonte: MMA)