Antártida abriga cordilheiras debaixo do gelo

Uma equipe internacional de cientistas detectou um grande sistema de cordilheiras abaixo da crosta de gelo da Antártida semelhante aos Alpes europeus. Para os pesquisadores, o primeiro mapeamento detalhado das montanhas subglaciais de Gamburtsev pode dar mais pistas sobre o continente e como o degelo afetaria a elevação do nível dos mares em pelo menos 57 m. As informações são do diário espanhol El Mundo.

Além de ter uma extensão do tamanho dos Alpes, a cordilheira submersa chama a atenção pela semelhança com as altas montanhas no coração da Europa – que se estendem da Áustria e Eslovênia pela Itália, Suíça (Alpes suíços), Liechtenstein, Alemanha e França -, com picos elevados e vales profundos.

Os ‘Alpes de Gamburtsev’, identificados há 50 anos por cientistas russos, ganharam os novos traços geográficos com a ajuda de sensores de radar e gravidade. O sistema se localiza no centro da parte oriental do continente antártico.

De acordo com o geofísico Fausto Ferraccioli, que integra as investigações, as montanhas teriam sofrido erosões e se reduzido a uma zona plana se o gelo tivesse se formado lentamente. No entanto, segundo ele, a presença de picos pontudos indica que o gelo se desenvolveu rapidamente, submergindo a paisagem debaixo de um manto com cerca de 4 km de espessura.

Os mapas são a ‘primeira página de um novo livro’ que pode ajudar a identificar os efeitos do aquecimento global nos glaciais do Pólo Sul, alertou Ferraccioli. A equipe de pesquisa, composta por cientistas da Austrália, Reino Unido, Canadá, China, Alemanha, Japão e Estados Unidos, sobrevoou mais de 120 mil km da Antártida com equipamentos de medição.

O continente antártico tem a superfície terrestre maior que os Estados Unidos e está coberto de gelo há pelos menos 35 milhões de anos. A crosta de gelo contém água suficiente para elevar o nível de todos os mares da Terra em 57 m sem o derretimento total. Os especialistas acreditam que apenas um degelo parcial causaria graves efeitos nas costas de todo o planeta. (Fonte: Portal Terra)