Sentir raiva e emoções fortes pode matar, aponta estudo

O sentimento de raiva e outras emoções fortes podem desencadear ritmos cardíacos potencialmente mortais em pacientes vulneráveis a doenças do coração, afirmaram pesquisadores americanos nesta terça-feira (24). Estudos anteriores demonstraram também que terremotos, guerras ou mesmo a perda de uma copa do mundo futebol jogo pode aumentar as taxas de morte por parada cardíaca súbita. As informações são da agência Reuters.

“Ficou definitivamente comprovado que quando você submete alguém a um fator estressor, as chances de morte súbita aumentam muito. Nosso estudo começa a analisar como isso tem afetado o sistema elétrico do coração”, disse a médica Rachel Lampert, da Universidade de Yale, em New Haven, no Estado de Connecticut.

A pesquisadora e seus colegas estudaram 62 pacientes portadores de doença cardíaca e com desfibriladores implantados no coração para detectar arritmias cardíacas e outros descompassos nos batimentos do coração.

Os doentes do estudo participaram de um exercício que os submetia a situações que os deixassem zangados, para em seguida serem monitorados com um aparelho chamado T-Wave Alternans, que verificava as medidas de instabilidade elétrica do coração.

Lampert disse que a equipe fazia perguntas especificamente desagradáveis ao pacientes, cuja intenção era fazê-los reviver sensações ruins.

“Fazendo isto, verificamos que a raiva ocasiona o aumento dessa instabilidade elétrica cardíaca nestes pacientes”, disse ela.

Três anos após a aplicação da técnica, a equipe de pesquisadores verificou que as pessoas que demonstraram mais raiva tiveram um ataque cardíaco ou precisaram passar a utilizar aparelhos como desfibriladores implantáveis.

“As pessoas que tiveram a maior raiva tiveram indução de instabilidade elétrica cardíaca 10 vezes superior àquelas menos vulneráveis. A raiva pode realmente gerar um impacto no sistema elétrico do coração e levar à morte súbita”, disse ela. Rachel falou ainda que o estudo sugere que a raiva possa ser mortal, pelo menos para as pessoas que já são suscetíveis a este tipo de distúrbio elétrico no coração.

Mas a médica advertiu que há diferenças com relação a que tem um coração saudável.

“Como raiva e estresse podem afetar as pessoas cujos corações estão normais é provavelmente muito diferente de como é que podem afetar o coração de quem tem anormalidades estruturais”, afirmou.

A pesquisa foi publicada no Journal of the American College of Cardiology. (Fonte: Portal Terra)