Milho transgênico da Monsanto sofre revés na União Europeia

Os países da UE (União Europeia) se negaram nesta segunda-feira (2) a obrigar a Áustria e a Hungria a cultivar o milho geneticamente modificado MON 810, da multinacional americana Monsanto, como pedia a Comissão Europeia.

Apenas quatro países – Reino Unido, Holanda, Suécia e Finlândia – apoiaram a proposta de Bruxelas, que pedia aos ministros do Meio Ambiente a UE que votassem na suspensão das cláusulas de salvaguarda decididas pela Áustria e Hungria. Todos os demais países votaram contra.

O resultado antecipa uma nova derrota para a Comissão Europeia quando os países da UE forem convocados a votar para obrigar a França e a Grécia a suspender as restrições provisórias ao cultivo do milho MON 810.

Os países da UE são tradicionalmente divididos em relação aos OGM (Organismos Geneticamente Modificados).

A organização não-governamental Greenpeace saudou o resultado como “uma vitória para o meio ambiente, os fazendeiros e os consumidores, e um grande inconveniente para a Comissão Europeia”.

A Comissão já havia fracassado em 16 de fevereiro em uma primeira tentativa de forçar a França e a Grécia a autorizar a retomada do cultivo de milho transgênico da Monsanto, em uma votação do Comitê Permanente da Cadeia Alimentar e Saúde Animal da UE. (Fonte: Folha Online)