Pesquisa da UnB descobre componente de perfume em planta do cerrado

Uma pesquisa feita na Universidade de Brasília pela engenheira florestal Ana Virgínia encontrou no araçá do cerrado (Psidium myrsinides) uma matéria-prima para perfumes, o linanol.

Segundo a pesquisadora, as pessoas pensam que a vegetação é de cerrado só porque existem árvores retorcidas, com casca grossa e pouquíssimo valor, em comparação com a diversidade da Amazônia, o que é um engano.

A substância linalol está presente no óleo essencial da planta e em cosméticos e perfumes, serve para fixar a fragrância na pele.

O linalol também pode ser extraído de outras plantas, como o manjericão e o pau-rosa da Amazônia. No entanto, o araçá tem vantagem na questão da sustentabilidade. Como o linalol é extraído somente da folha, é menos degradante ao meio ambiente. No pau-rosa, por exemplo, extrai-se do tronco da árvore, que demora 30 anos para crescer., explica Ana Virgínia.

Ainda não há como prever o uso comercial do linalol do araçá. Nós descobrimos a substância nos óleos essenciais da planta e agora estamos partindo para pesquisas mais avançadas. Acredito que dentro de dois ou três anos já se tenha resultados favoráveis, acrescenta.
(Fonte: Agência Estado)