Leishmaniose em 3 pessoas e 77 cães deixa São Borja/RS em situação de emergência

O município de São Borja (a 602 km de Porto Alegre, RS) decretou situação de emergência na segunda-feira (16) depois de registrar, na última sexta, o terceiro caso de leishmaniose – doença crônica que ataca principalmente cães, é transmissível ao homem e pode ser fatal se não for tratada.

De acordo com a prefeitura, também foram registrados 77 cães contaminados com a doença. As três pessoas recebem tratamento num hospital do município.

Nesta quinta (19), uma equipe conjunta do Ministério de Saúde e governo do Estado chega ao município para capacitar os médicos, enfermeiros e agentes de saúde da cidade. Segundo vice-prefeito Jefferson Homrich, o decreto de situação de emergência permite ações imediatas no combate da doença.

“Isso possibilita o município direcionar recursos sem burocracia, como contratar veterinários e comprar medicamentos, para uma ação imediata no combate da doença”, disse.

De acordo com Homrich, os 77 cães serão sacrificados numa parceria com o Exército. Apesar de a leishmaniose ser uma doença que existe em outros locais do mundo, como Europa e Estados Unidos, o Brasil é o único país em que o sacrifício dos animais é obrigatório.

O governo do Estado liberou R$ 240 mil em recursos para a construção de um canil municipal.

Fronteiras – Em um encontro realizado no último dia 5 em São Borja, médicos e pesquisadores do Estado do Rio Grande do Sul, das províncias argentinas de Misiones e Corrientes e do município uruguaio de Artigas estabeleceram um acordo de combate de doenças e troca de informações sobre os focos de dengue, febre amarela e leishmaniose.

A intenção agora é seguir “estratégias comuns” de prevenção e tratamento das enfermidades. (Fonte: Folha Online)