Reservatórios de hidrelétricas do Sul se recuperam

Os reservatórios das usinas na região Sul demonstram boa recuperação nas últimas semanas. Dados do Operador do Nacional do Sistema Elétrico (ONS) divulgados na segunda-feira (13) mostram que o nível de armazenamento nas hidrelétricas fechou ontem em 52,2%, acima dos 44,9% apurados há uma semana. Apesar disso, o patamar atual é inferior ao verificado em 2008, na mesma época. Há um ano, o nível estava em 66,6% do total. As informações estão no Informativo Preliminar Diário da Operação (IPDO), divulgado diariamente pelo operador do sistema.

A forte estiagem que afeta o Sul do País explica a expressiva queda no nível dos reservatórios das usinas este ano. Agora, a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas está ligada a maior produção de energia das termelétricas e ao recebimento de 5 mil megawatts (MW) médios energia do Sudeste. Os dados do ONS também mostram que o volume de água nos reservatórios fechou ontem 39,2 pontos porcentuais acima da curva de aversão ao risco (CAR), indicador usado pelo operador para determinar o nível mínimo dos reservatórios para garantir o abastecimento do mercado brasileiro com segurança.

Apesar do esforço de enviar energia para o Sul, as condições no Sudeste são positivas. Segundo o ONS, o nível dos reservatórios encerrou o domingo em 77,4%, ligeiramente abaixo do patamar de 77,9% do mesmo dia da semana passada e dos 77,6% verificados em 12 de julho de 2008. Hoje, a diferença para a CAR é de 32,9 pontos porcentuais. Para o sistema, esse fato é extremamente positivo, já que a região representa 69,8% da capacidade de armazenamento de energia do País – diferentemente do Sul, o Sudeste está sendo beneficiado pelas chuvas deste ano.

No Nordeste, o cenário é bastante confortável. Ontem, o estoque de água nos reservatórios fechou em 90,9% do total, o que representa 51,1 pontos porcentuais acima da CAR para a região. No Norte, a situação é excepcional em virtude das fortes chuvas que estão caindo este ano. De acordo com o ONS, o nível de armazenamento encerrou ontem em 92,5% – o ONS não disponibiliza no IPDO a curva de aversão ao risco para esta região, porque o porcentual ainda precisa ser aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

No domingo (12), a carga do sistema foi de 40,848 mil MW médios, dos quais 37,240 mil MW médios foram gerados por hidrelétricas (incluindo Itaipu), 1,925 mil MW médios por usinas nucleares, 1,652 mil MW médios por térmicas convencionais (carvão e gás natural) e 31 MW médios por eólicas. Por ser domingo, quando o consumo de energia diminui, a carga apurada pelo ONS foi menor. Na sexta-feira (10/7), a carga foi de 50,07 mil MW médios. (Fonte: Wellington Bahnemann/ Estadão Online)