Animais do Zoológico de Brasília ganham tratamento especial

O Zoológico de Brasília está usando técnicas diferenciadas que têm feito sucesso para promover o bem estar dos animais. O elefante Chocolate veio do circo e trouxe com ele vícios provocados pelo estresse. Mesmo no recinto novo, dançava 18 minutos a cada hora. Depois de iniciado o tratamento com música clássica, a repetição caiu para três minutos por hora.

“O animal está preso, fora do habitat natural dele. Eu acho isso interessante. Com certeza, pra ele é uma forma de suprir alguma carência ou necessidade que ele tiver. E a música serve para acalmar, para dar uma certa paz de espírito ou algo parecido”, comenta um visitante, o servidor público Luis Rodrigues.

O rinoceronte Thor é outro que tem tratamento diferenciado. Ele recebe uma escovação especial, uma massagem de relaxamento duas vezes ao dia. Atenção que dá inveja a muita gente. “É incrível. É muito legal”, afirma uma garota que visita o zoo. Thor também veio do circo e tinha um ferimento no olho. Agora, mais calmo, relaxa enquanto o cuidador aplica o colírio.

As onças pintadas também atraem o público e a atenção das veterinárias. Para muitos animais que não vivem em cativeiro, pescar é questão de sobrevivência. “No caso das onças é uma terapia. Elas pescam não para se alimentar, mas se divertir. Na verdade, fazem isso para passar o tempo. É uma diversão para a família toda”, explica a veterinária Betânia Borges.

“Enquanto a gente fica trabalhando, a semana toda, eles têm tempo para descansar, para ouvir a música deles. Mas eles merecem. Com certeza, merecem”, afirma uma visitante, a assistente administrativa Elaine Cristina Silvestre. (Fonte: G1)