Grupo acha cidade ancestral perdida de Veneza

Não é todo dia que se encontra uma cidade perdida, a não ser em um filme com as aventuras de um Indiana Jones. Mas pesquisadores italianos conseguiram achar uma cidade perdida bem ao lado de um dos destinos turísticos mais visitados do mundo, Veneza.

As ruínas da cidade romana de Altinum foram localizadas em imagens aéreas graças a um período de estiagem em julho de 2007, que permitiu “ver” abaixo do solo. A cidade foi abandonada a partir do século 5º da Era Cristã por causa de invasões bárbaras. Seus habitantes moveram-se para a mais protegida posição em meio à laguna, fundando a atual Veneza.

Altinum está enterrada sob culturas de milho e soja. O estresse hídrico provocado pela seca pode ser detectado graças à radiação infravermelha próxima, sensível a mudanças no crescimento da vegetação.

A diferença na reflexão permite criar imagens com cores falsas. Cores mais claras indicam locais onde há pedras, tijolos ou mesmo solo compactado sob as plantas. As cores mais escuras revelam onde há depressões no terreno, indicando poços e canais, mesmo que cheios de sedimentos.

“Nós descobrimos o mapa da cidade. Nós agora sabemos como era o tecido urbano, onde estavam os edifícios principais, monumentais, onde era a cidade, suas portas e a existência, que não se suspeitava, de um canal que cruzava a cidade e a conectava à laguna e aos rios no interior. Também achamos algumas estruturas do porto, que devia ser provavelmente o porto da cidade romana”, afirma Paolo Mozzi, um dos quatro autores da pesquisa, do Departamento de Geografia da Universidade de Pádua.

De posse do mapa, o próximo passo é iniciar pesquisas com arqueólogos e historiadores focadas em locais específicos da cidade. O mapa mostra claramente onde ficavam o teatro e o fórum, e a possível localização de dois templos. Ironicamente, algumas escavações arqueológicas já haviam sido feitas, mas em pontos fora da cidade.

Altinum é a única grande cidade romana no norte da Itália, e uma das poucas na Europa, que não foi enterrada por construções medievais e modernas. Ela tem um tamanho comparável a Pompeia, a cidade perto de Nápoles soterrada pela erupção do vulcão Vesúvio.

A reconstrução da planta da cidade indica que ela era cercada por uma rede de rios e canais. Isso confirma a descrição feita pelo antigo geógrafo grego Estrabão (cerca 64 a.C. – cerca 24 d.C) de que Altinum era parcialmente cercada por água, afirmam os autores da pesquisa, descrita em uma comunicação breve na edição de hoje da revista científica “Science”. (Fonte: Ricardo Bonalume Neto/ Folha Online)