Acampamento do MST em Brasília quer discutir reforma agrária

A partir de amanhã (10), mais de 3 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estarão em Brasília para participar de uma mobilização que integra a Jornada Nacional de Lutas por Reforma Agrária. O objetivo é discutir temas como o assentamento das 90 mil famílias acampadas pelo país e das mais de 45 mil que esperam por investimentos em habitação, infraestrutura e produção.

Os acampados exigem também a atualização imediata dos índices de produtividade, usados como referência para classificar como improdutivo um imóvel rural que deve ser destinado à reforma agrária. O movimento também quer o descontingenciamento, por parte do Ministério do Planejamento, de R$ 800 milhões do orçamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para este ano e a aplicação na desapropriação e obtenção de terras, além de investimentos no passivo dos assentamentos. Além disso, o MST exige a ampliação dos recursos previstos destinados à reforma agrária.

Durante os dias de acampamento, estão previstos estudos sobre a conjuntura agrária e debates sobre temas importantes para a construção de projeto popular de desenvolvimento do país, como clima e meio ambiente, energia e petróleo, previdência, juventude, comunicação, gênero e raça – além de marchas, protestos e atividades culturais.
(Fonte: Agência Brasil)