Ministro acompanha apreensão de gado na Flona Jamanxim, no Pará

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, acompanhou nesta terça-feira (11), no Pará, o trabalho dos agentes do Ibama na operação Boi Pirata II na Floresta Nacional Jamanxim, situada no oeste do estado, no município de Novo Progresso. A região possui um dos maiores índices de desmatamento e de cabeças de gado criado ilegalmente dentro da área de proteção.

Até o momento, foram apreendidas seis mil cabeças de gado, sendo que o número total deve atingir 15 mil. Na operação desta terça-feira foram retiradas 1.700 cabeças que serão doadas aos programas sociais do governo federal.

Além do gado, foram ainda apreendidas 14 armas, entre fuzis e carabinas, 1.000 litros de óleo diesel, transportado dentro da Flona de modo irregular, quatro tratores, sendo dois de esteira, três caminhões e uma serraria móvel. Foram detidas 17 pessoas e lavrados 27 autos de infração, que geraram multas de R$ 23,86 milhões.

De acordo com o ministro, quem não tirar seus rebanhos da Flona, o mais rápido possível, perderá o gado. Ele disse que quem entrou em terra que não era sua terá que retirar o gado imediatamente. Disse também que todas as fazendas serão multadas, pois é crime ocupar áreas da União, isso dá cadeia, alertou o ministro.

O ministro Carlos Minc considerou a operação um sucesso e informou que se formou o maior engarrafamento de boi pirata na BR-163. Como alternativa ao desmatamento e proposta de desenvolvimento sustentável na região de Novo Progresso, o ministro lembrou a Operação Arco Verde, que vem sendo desenvolvida na região com ações de vários ministérios como a regularização fundiária, o crédito agrícola, mutirão de cidadania, entre outros.

A operação, iniciada em junho, é realizada em parceria com a Polícia Militar do Estado do Pará, com o apoio do Exército e dos fiscais do Ibama e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O objetivo é impedir o desmatamento ilegal na Amazônia para a criação de gado. (Fonte: MMA)