Nasa dá novo passo para cancelar missão tripulada à Lua

A Nasa diminuiu radicalmente o trabalho que desenvolverá nos próximos meses em seu programa para levar astronautas de volta à Lua, dizendo às empresas que participam do programa para separar fundos para cobrir os custos de cancelamento.

As mudanças, descritas pelo administrador da Nasa, Charles Bolden Jr., em cartas enviadas nesta semana a membros do Congresso americano, sucateiam o programa, o chamado Constellation, provavelmente de forma irreversível.

Desde 2005, a Nasa gastou mais de US$ 10 bilhões em seu esforço para levar seres humanos de volta à Lua. O governo Obama quer cancelar o Constellation, considerando-o caro demais, mas o Congresso americano ainda não concordou.

Ao aprovar o orçamento atual, o Congresso inseriu uma cláusula que proíbe a Nasa de cancelar o Constellation ou iniciar um programa de substituição sem a aprovação dos congressistas. Os críticos da política de Obama afirmam que as ações desta semana são um esforço para passar por cima do Congresso e matar o programa.

Os planos revisados do Constellation encerram, em grande parte, os trabalhos no foguete Ares 1, que deveria substituir os ônibus espaciais na tarefa de levar astronautas para a órbita da Terra, bem como diminuem os esforços de desenvolvimento da cápsula Orion, que carregaria a tripulação em cima do Ares 1.

Nas cartas, Bolden afirma que o dinheiro restante do Constellation iria para desenvolvimentos futuros, que pudessem ser transferidos para o programa proposto em seu orçamento de 2011. Entre um terço e dois terços dos 7.800 funcionários que trabalham hoje no Constellation poderiam perder seus empregos, estimou a Nasa. (Fonte: Folha.com)