Obama promete ajudar indústria da pesca afetada por vazamento de óleo

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta segunda-feira (14) que vai fazer o possível para manter o modo de vida dos moradores da região afetada pelo vazamento de petróleo no Golfo do México. Durante visita à região, ele também prometeu ajudar a indústria pesqueira do litoral do Golfo do México, abalada pelo desastre ambiental.

Obama também disse que o peixe e os frutos do mar são bons para comer, apesar do óleo.

O governo está comprometido em “fazer tudo o que estiver em nosso alcance para proteger o modo de vida no Golfo, para que ele se mantenha para nossos filhos, netos, e nossos bisnetos”, afirmou Obama após se reunir com autoridades dos estados costeiros de Mississipi e Alabama (sul).

Obama também espera alcançar um acordo com a BP na quarta-feira para a criação de um fundo especial para os afetados pelo derramamento.

“Alguns vão ficar frustrados e outros vão ficar furiosos. Mas eu prometo: as coisas vão voltar ao normal.”

Mais cedo, Obama comparou o desastre causado pelo vazamento de óleo com os atentados de 11 de setembro de 2001, em um entrevista.

“Da mesma forma que o 11 de setembro modificou profundamente nossa visão de nossas vulnerabilidades e nossa política externa, creio que este desastre vai modificar por muitos anos nossa visão sobre o ambiente e a energia”, afirmou Obama ao Politico.com.

O presidente disse ainda que a buscará a aprovação no Congresso de uma nova lei de energia e clima. Segundo ele, os Estados Unidos vão buscar uma política energética com visão de futuro de que tanto necessita.

“Um dos maiores desafios da liderança que terei adiante será assegurar-me de aprender as lições corretas desse desastre”, afirmou.

O vazamento começou em 20 de abril, após uma explosão seguida de incêndio na plataforma Deepwater Horizon, da empresa Transocean, e arrendada pela British Petroleum, e que matou 11 funcionários. Desde então, várias tentativas de deter o vazamento falharam, provocando o que as autoridades já consideram o maior desastre ambiental da história dos EUA. (Fonte: Folha.com)