Chuva pode causar aumento nos casos de dengue em AL e PE

Os estados de Pernambuco e Alagoas, fortemente atingidos pelas chuvas nos últimos dias, podem ter que enfrentar um novo desafio. O lixo acumulado pela chuva tende a se tornar, segundo especialistas das Secretarias Estaduais de Saúde, reservatório para o depósito de ovos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, o que provocaria o aumento no número de casos da doença.

De 3 de janeiro a 12 de junho, Alagoas, o estado mais afetado pela chuva, registrou 27.684 casos notificados de dengue. Desses, 7.304 foram confirmados; 1.667, descartados; e 18.713 seguem em investigação. De acordo com a Secretaria de Saúde, 5 mortes causadas pela doença foram confirmadas e 10 estão sendo investigadas.

“Existe uma preocupação com a possibilidade de aumento nos casos de dengue após as chuvas, mas a situação no estado é caótica, então estamos com nossas ações voltadas às situações emergenciais. A dengue virá, provavelmente, para piorar um quadro provocado pelas doenças típicas das enchentes, que são a leptospirose, diarreias e hepatite, causadas pelo consumo e contato com água contaminada”, diz Cleide Moreira, diretora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Pernambuco.

A capital Maceió, segundo dados da Secretaria, tem o maior número de casos graves de dengue notificados no estado (203). Já o maior número de casos graves confirmados ocorre em Rio Largo (AL), com 39.

Em Alagoas, 29 pessoas morreram em decorrência das chuvas. Quinze cidades estão em situação de calamidade pública. No total, mais de 177 mil pessoas foram afetadas.

Pernambuco – Até o momento, desde o início deste ano, foram notificados 19.623 casos de dengue em Pernambuco, distribuídos em 162 municípios. O número representa, segundo a Secretaria de Saúde de Pernambuco, um aumento de 321,82% em relação ao mesmo período de 2009, quando foram notificados 4.652 casos.

“Desde o começo do ano, observamos uma pequena redução no número de casos de dengue, porém esse é o período com maior acumulado de chuva, então é possível que tenhamos até julho um aumento nos casos de dengue. Ainda assim, é importante destacar que a dengue é um problema permanente. A chuva leva a questões mais agudas, como a leptospirose”, afirma Jacira Ferreira, diretora de controle de doenças e agravos da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco.

Segundo Jacira, o lixo acumulado por conta da chuva pode virar reservatório para o depósito de ovos do mosquito da dengue. Por isso, a orientação é que, assim que possível, os moradores das cidades atingidas pelas chuvas limpem quintais e solicitem a limpeza, pelo governo, de terrenos baldios.

Os três municípios com mais notificações de casos de dengue foram Caruaru (3.522), Recife (2.276) e Petrolina (1.563). Houve, até o momento, 138 casos suspeitos de dengue hemorrágica, sendo 18 confirmados. Uma pessoa morreu.

Em Pernambuco, de acordo com a coordenadoria de Defesa Civil (Codecipe), 54 municípios registraram estragos causados pela chuva. Trinta estão em situação de emergência e nove decretaram calamidade pública. Quinze pessoas morreram. Mais de 40 mil estão desabrigadas ou desalojadas. (Fonte: Nathália Duarte/ G1)