Famílias que saíram de Raposa Serra do Sol só serão reassentadas depois das eleições

Produtores que ainda não foram reassentados após saírem da Terra Indígena Raposa Serra do Sol receberão terras somente depois das eleições, que acontecem em outubro.  O anúncio foi feito na quarta-feira (23), durante uma reunião em Brasília, com o desembargador Jirair Meguerian e representantes dos produtores.  As informações são do jornal Folha de Boa Vista.

No encontro, que aconteceu na sede do Tribunal Regional Federal (TRF), ficou decidido que quarenta e nove famílias devem ser reassentadas na vila Vilhena, no município de Bonfim, e 24 famílias na gleba Murupu, na região do Truaru, zona rural de Boa Vista.  Nesta última localidade já vivem reassentados da TI Raposa Serra do Sol.

Participaram das discussões Roulf Hackbart, presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), o superintendente da autarquia federal em Roraima Titonho Beserra, e o assessor especial da Casa Civil, Nagib Lima, além dos produtores rurais.  A reunião foi presidida pelo desembargador Jirair Meguerian, que comandou o processo de retirada dos habitantes não-índios da reserva.

As ações para levar infraestrutura aos locais, como estradas, energia elétrica e água encanada, devem ser iniciadas também após o pleito eleitoral.  Os recursos serão garantidos por meio de verbas parlamentares.  O presidente do Incra se comprometeu a apresentar um projeto de infraestrutura para os reassentamentos na ordem de R$ 12 milhões.

Os produtores e representantes dos órgãos envolvidos agendaram uma nova reunião na próxima segunda-feira (28), para discutirem os valores das indenizações.  Na semana seguinte as discussões, retornam a Brasília, até que seja dada uma decisão final.

As famílias desocuparam a Terra Indígena após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que validou o processo demarcatório de Raposa Serra do Sol em área contínua e determinou a retirada dos não-indígenas, no ano passado. (Fonte: Amazônia.org.br)