Inundações na China já mataram quase 400 pessoas

Trabalhadores se esforçavam para reparar uma barragem rompida no sul da China, onde chuvas persistentes e enchentes devastadoras deixaram pelo menos 379 pessoas mortas até este domingo (27), informou a mídia estatal e agências do governo.

Escavadoras penetravam rochas e solo para reparar uma ruptura na barragem do rio Fu, na província de Jiangxi, o que obrigou mais de 100 mil pessoas a deixar suas casas no início desta semana.

Moradores limpam ruas de Nanping. Trabalhadores se esforçavam para reparar uma barragem rompida no sul da China
E mais água pode estar chegando, com a inundação do rio Xiang já passando pela província de Hunan, abrindo caminho para a cheia do rio Yangtze.

“Em alguns vilarejos e municípios ao longo do rio Xiang, fazendas e casas estão inundadas”, disse Jiang Yongpeng, um funcionário do Departamento de Proteção Ambiental de Hunan.

As águas do Yangtze e outros rios no sul da China ficam geralmente mais altas no verão devido a uma combinação de degelo do platô tibetano e chuvas torrenciais no sul da China.

A mídia estatal estabelece paralelos entre as inundações deste ano e as do verão de 1998, que estourou algumas das principais barragens ao longo do Yangtze, inundando grandes cidades, deixando pelo menos 3,7 mil mortos e cerca de 15 milhões de pessoas temporariamente desabrigadas.

Até o momento, as inundações deste verão (no Hemisfério Norte) resultaram perdas econômicas diretas de 82,4 bilhões de iuans (12,13 bilhões dólares), segundo a agência Xinhua, citando o Instituto do Estado de Controle e Socorro de Inundações e Seca.