Cientistas utilizam algoritmos de computador para fabricar vacinas

Uma equipe liderada por Dimitris Papamichail, cientista da Universidade de Miami, criou algoritmos de computador capazes de desenvolver vacinas para as diferentes mutações do vírus da gripe.

Divulgado nesta sexta-feira (9) na publicação online Nature Biotechnology, o trabalho consiste no uso dos algoritmos para conceber vírus que sirvam como vacinas vivas. O método, conhecido como SAVE, também poderia ser empregado para outros tipos de vírus, segundo Papamichail.

Para fazer vacinas antivirais, os especialistas enfraquecem o vírus até o ponto de torná-lo inofensivo. O próximo passo é usar o organismo como uma imunização viva, capaz de estimular anticorpos no corpo.

Com o método desenvolvido por Papamichail e sua equipe, os algoritmos sugerem alterações no genoma para que o vírus enfraquecido codifique exatamente as mesmas proteínas que um exemplar normal, porém em quantidades menores.

O problema está na possibilidade de mutações no código do parasita acarretarem a retomada da virulência. Mas o processo desenvolvido pela equipe da Stony Brook University e Papamichail diminui as chances de erro e provoca uma reação do sistema de imunização do corpo que ataca os vírus sadios, mas não é forte o suficiente para gerar sintomas de doenças. (Fonte: G1)