Petrobras espera produzir 500 mil barris por dia a partir de 2015 no Parque das Baleias

A Petrobras informou que deve produzir entre 400 mil e 500 mil por dia a partir de 2015 no Parque das Baleias, um grupo de sete campos petrolíferos na Bacia de Campos, a cerca de 80 quilômetros da costa capixaba, e em campos próximos. Para isso, novas plataformas passarão a atuar na área até 2015.

Além da plataforma P-34, que atua no campo de Jubarte desde o final de 2006 e que foi a primeira a retirar petróleo da camada pré-sal no Brasil, em 2008, a plataforma Capixaba já trabalha no campo de Cachalote desde maio deste ano.

Essa mesma plataforma começa nesta quinta-feira (15) a produzir petróleo da camada pré-sal no campo de Baleia Franca. Já a partir do final deste ano, a Capixaba deverá produzir uma média de 100 mil barris de óleo por dia.

Em novembro deste ano, entrará em operação a plataforma P-57, que produzirá petróleo do pós-sal no campo de Jubarte. Em 2012, é a vez da plataforma Cidade de Anchieta, que extrairá petróleo do pré-sal através de seis poços no Campo de Baleia Azul.

A plataforma P-58 será direcionada ao norte do Parque das Baleias, onde produzirá petróleo do pós-sal e do pré-sal, nos campos de Jubarte, da Cachalote, Baleia Franca e Baleia Anã. No ano seguinte, a plataforma P-34, que passará por adaptações no estaleiro, voltará para produzir petróleo do pós-sal no campo de Baleia Azul.

“São campos que darão uma contribuição significativa para o aumento de produção do petróleo no estado. O impacto [para o estado capixaba] vem na forma de geração de receitas, não só pelos impostos, mas também de royalties e participações especiais, que esses campos gerarão”, disse o gerente-geral da Unidade de Negócios da Petrobras no Espírito Santo, Robério Ramos.

Segundo Robério Ramos, boa parte desse incremento de produção virá de poços que extraem petróleo da camada pré-sal. Ele acredita que, nos próximos cinco anos, o pré-sal responderá por 40% da produção no Parque das Baleias.

O litoral do Espírito Santo inclui ainda a Bacia do Litoral Norte e uma área de campos localizados em terra (norte Capixaba). A Petrobras ainda está explorando o potencial do litoral norte. Nessa bacia, a produção se concentra basicamente no Campo de Golfinho.

De acordo com Robério Ramos, a Petrobras acredita que grande parte do petróleo do litoral norte está concentrada na camada pós-sal. No entanto, há a expectativa de encontrar reservas no pré-sal dessa bacia. “Nessa área, ainda hoje, o prospecto principal é o pós-sal”, disse Ramos. (Fonte: Vitor Abdala/Agência Brasil)