Indígenas são capacitados como agentes de saneamento pela Funasa em RR

A coordenação regional da Fundação Nacional de Saúde em Roraima (Funasa) está capacitando 66 indígenas, por meio da Divisão de Engenharia e Saúde Pública (Diesp), Setor de Capacitação e Educação em Saúde (Secap), para serem Agentes Indígenas de Saneamento (Aisan) e atuarem em suas comunidades. O curso vai atender quatro turmas e se estende até o dia 21 de novembro na comunidade da Taba Lascada, Município do Cantá.

Os participantes do curso foram escolhidos nas próprias aldeias e estão sendo formados para serem agentes multiplicadores na atenção à saúde identificando e encontrando os meios para solucionar os problemas sanitários de sua comunidade, em especial as que já são dotadas de abastecimento de água. Entre os cursistas, quatro são da etnia yanomami e o restante de comunidades do Distrito Leste.

Segundo Ticiana Cláudia, do Diesp, este é o quarto curso de capacitação realizado pela Funasa/RR e entre as ações que estão inseridas no curso, está a realização de reuniões sobre Educação em Saúde Ambiental; a orientação da comunidade no uso e execução de melhorias sanitárias domiciliares; operar e manter os sistemas de água, esgotos e lixo de sua comunidade; identificar os aspectos políticos, econômicos e sociais de seu território, com vistas a intervenções de ações de saneamento e realizar levantamentos cadastrais sanitários de sua comunidade.

Cláudia informou que o projeto é realizado em dois momentos distintos: no primeiro, o Aisan recebe as orientações teóricas de desenvolvimento da sequência de atividades programáticas onde aprendem a perceber a realidade a sua volta; processo da relação saúde/doença; operar e manter os sistemas de abastecimento d’água e serviços de saneamento básico.

Num segundo momento os agentes iniciam as ações práticas através de estágios supervisionados pelos técnicos da Funasa-RR Laelcio Catão e Daniel Sales, que avaliam o grau de aprendizado dos agentes.

Maria Lucia, do Secap, disse que a intenção do curso é capacitar o agente indígena, de modo que ele volte para sua comunidade e seja capaz de identificar seus problemas de saúde. “Com a capacitação ele vai promover as ações por seus meios e esforços, adotando as medidas necessárias de prevenção, proteção e promoção de saúde e saneamento básico na sua comunidade”, disse.

Entre os principais benefícios que serão levados às comunidades, ela destacou a prevenção de verminoses e doenças oportunistas que surgem através do contato com o lixo, esgoto, e água contaminada ou mesmo água sem tratamento adequado.

Todo o curso e o material usados na construção de sumidouros, fossas secas e recuperação de banheiros são custeadas pela coordenação da Funasa em Roraima. (Fonte: Folha de Boa Vista/RR)