Instituto pede para a PF investigar incêndios no DF e em 5 regiões

O presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rômulo Mello, pediu nesta segunda-feira (12) à Polícia Federal que investigue os incêndios que atingem a Floresta Nacional de Brasília (Flona) e outras cinco áreas de conservação ambiental no país.

O ICMBio afirma ter indícios de que a Flona, o Parque Nacional do Itatiaia, na região serrana do Rio de Janeiro, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, o Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais, o Parque Nacional da Serra da Canastra, também em Minas, e o Parque Nacional dos Cantos Amazônicos, em Rondônia, Mato Grosso e Amazonas, tenham sido atingidos por incêndios criminosos.

Neste sábado (10), Mello recebeu relatório do setor de fiscalização do órgão, que é ligado ao Ministério do Meio Ambiente, que apontam para a possibilidade de crime ambiental.

Em Brasília, fiscais do instituto avistaram um caminhão no interior da floresta neste sábado pela manhã. O motorista e os passageiros fugiram ao perceber a aproximação dos fiscais. Panos umedecidos com material inflamável foram recolhidos no local onde o fogo teve início.

O incêndio na Floresta Nacional de Brasília iniciado na última quinta-feira (8) já havia consumido mais de 85% dos 9,3 mil hectares da área de cerrado do parque. O fogo ameaça atingir o Parque Nacional de Brasília, a mais importante unidade de conservação do DF, que fica em uma área ao lado da floresta.

Segundo o ICMBio, os incêndios foram originados por “pessoas interessadas em inviabilizar as unidades de conservação pelos motivos mais diversos: transformar a área de proteção ambiental em pasto para o gado, lotear essas áreas para condomínios residenciais, fazer grilagem das terras, entre outros”.

Ar seco e fumaça – O ar seco e a fumaça dos incêndios que atingem o Distrito Federal levou o Aeroporto Internacional de Brasília a funcionar por instrumentos parte da manhã de sexta-feira. A fumaça encobriu boa parte da capital federal e obrigou a suspensão de aulas em algumas escolas (veja vídeo acima).

Uma etapa do campeonato de balonismo que é disputado em Brasília chegou a ser suspensa. À tarde, o governo do Distrito Federal decretou estado de alerta e proibiu a realização de atividades físicas nas escolas e órgãos públicos entre as 13h e às 17h.

Neste sábado, um avião da Força Aérea Brasileira com capacidade para transportar até 13 mil litros de água por viagem passou a ajudar no combate das chamas em várias regiões do DF. Mais de 150 focos de incêndios foram registrados pelo Corpo de Bombeiros no Distrito Federal entre a quinta-feira (8) e sábado. (Fonte: G1)