Paraguai quer discutir com o Brasil medidas de combate à febre aftosa

O ministro da Agricultura do Paraguai, Enzo Cardozo, quer discutir com o colega brasileiro, Mendes Ribeiro Filho, ações tomadas para o combate a focos de febre aftosa em seu país. A carne bovina é um dos principais produtos na pauta de exportação do Paraguai, que vende cerca de 500 mil toneladas por ano.

Com a confirmação de um foco de febre aftosa em setembro, no Departamento de San Pedro, que levou ao sacrifício de aproximadamente mil cabeças de gado, alguns países, como a Rússia, fizeram restrições às importações de carne do Paraguai.

Cardozo pediu na terça-feira (25) ao embaixador do Brasil no Paraguai, Eduardo dos Santos, que marcasse uma reunião de trabalho com Mendes Ribeiro Filho, para conversar sobre as medidas adotadas pelas autoridades sanitárias paraguaias para eliminar os focos de aftosa e também sobre ações preventivas, especialmente na fronteira entre os dois países. O local do encontro ainda não foi definido.

O rebanho bovino do Paraguai é de cerca de 2,3 milhões de cabeças. As autoridades paraguaias querem desenvolver um conjunto de ações junto com o Brasil para convencer os importadores, especialmente a Rússia, de que não há mais risco de contaminação animal pela febre aftosa para que seja restabelecido o comércio da carne bovina. (Fonte: Ivanir José Bortot/ Agência Brasil)