Asiáticos modernos carregam genes de hominídeos pré-históricos

Ao longo da evolução humana, nossa espécie (Homo sapiens) se reproduziu com outros tipos de hominídeos, que hoje estão extintos. Provavelmente, a mais conhecida dessas espécies é o homem de Neandertal, que habitou a Europa entre 300 mil e 30 mil anos atrás, aproximadamente.

Novos dados mostram que o homem de Denisova, que tem esse nome por causa de uma caverna na Sibéria onde seus vestígios foram encontrados pela primeira vez, também cruzou com a nossa espécie.

Uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (31) pela Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) mostra que o material genético do hominídeo está presente nos atuais habitantes do leste da Ásia. Entre nativos da Europa e da América, não foram encontrados traços desse material.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que o homem de Denisova trocou genes com os aborígenes da Oceania. Havia também indícios prévios de que o Neandertal se reproduziu com o Homo sapiens na Europa. A atual descoberta representa, portanto, o terceiro registro do que os cientistas chamam de “hibridização” na espécie humana.

“Nosso estudo cobre uma parte do mundo maior do que os estudos anteriores, e está claro que não é tão simples quanto pensávamos. A hibridização aconteceu em vários pontos da evolução, e os traços genéticos disso podem ser encontrados em vários lugares do mundo. Provavelmente, descobriremos mais eventos como esses”, afirma Mattias Jakobsson, da Universidade de Uppsala, na Suécia, autor da pesquisa.

O pesquisador acredita que novas pesquisas na área, com análise dos genomas encontrados nos humanos modernos e nos fósseis, vão tornar possível descrever a pré-história com mais precisão e riqueza de detalhes. (Fonte: G1)