Ban Ki-moon pede que governos apoiem agricultura familiar

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu na quarta-feira (5) aos governos para aumentarem o apoio à agricultura familiar em defesa do desenvolvimento rural e do combate à fome, informou a Organização para a Agricultura e Alimentação (FAO). Em mensagem divulgada no Fórum Mundial sobre Agricultura Familiar, que ocorre em Budapeste, Ban Ki-moon defendeu ajuda aos agricultores familiares, especialmente às mulheres e aos jovens, através de políticas que propiciem um desenvolvimento rural equitativo e sustentável.

Segundo o secretário-geral da ONU, é necessário financiamento ao setor de infraestrutura para reduzir a quantidade de alimentos que se perde depois da colheita, devido à falta de capacidade dos pequenos produtores para armazenar, processar e transportar seus produtos, assim como para serviços financeiros vitais, como o crédito e os seguros.

Assinalando que o Ano Internacional da Agricultura Familiar, que se celebra em 2014, é um apelo aos compromissos, Ban Ki-moon lembrou ainda que os agricultores familiares são particularmente vulneráveis às consequências das alterações climáticas, como as condições meteorológicas extremas, as secas e as inundações.

Ao discursar no fórum, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, reiterou as palavras de Ban Ki-moon e adiantou que um estudo recente em 93 países mostra que a agricultura familiar representa mais de 90% do total das explorações agrícolas. “Além de produzirem uma grande parte dos alimentos que comemos, os agricultores familiares são, de longe, a maior fonte de emprego no mundo”, sublinhou José Graziano da Silva.

O diretor-geral da FAO destacou ainda o papel dos agricultores familiares na manutenção da biodiversidade agrícola e dos recursos naturais, chamando atenção para a importância de protegê-los das crescentes ameaças ao acesso tradicional à terra. O Fórum Mundial sobre Agricultura Familiar termina nesta quinta-feira (6). (Fonte: Agência Brasil)