IBGE: Norte e Nordeste se preocupam pouco com a água

Apesar de a água ser um recurso finito, mas fundamental para a vida, algumas unidades da federação seguem ignorando sua importância. A conclusão é da pesquisa de Perfil dos Estados Brasileiros divulgada pelo IBGE e que indica que cinco unidades não possuíam em 2013 qualquer tipo de monitoramento da qualidade da água, sendo que três estão na região Norte: Acre, Roraima e Amazonas. Outros nove não participam da proteção de nascentes, despoluição e desassoreamento de recursos hídricos ou gestão de aquíferos, principalmente quatro da região Nordeste (Maranhão, Ceará, Alagoas e Sergipe), onde o recurso é primordial.

A área de energia é outra onde os Estados brasileiros falham na hora de investir. Apenas dez tiveram algum tipo de preocupação em programas de incentivo a energias limpas (eólica ou solar). Cinco eram da região Nordeste (Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco).

Por outro lado, 100% dos Estados têm programas de preservação da biodiversidade e outros programas relacionados. A maioria tem programas específicos sobre implementação e gestão de unidades de conservação (exceção feita ao Pará). Mas ainda há deficiências na gestão de resíduos sólidos, que podem acarretar riscos à saúde pública ou ao meio ambiente, em 15 Estados.

Coleta seletiva, seletiva – Apesar de ser uma prática cada vez mais difundida, apenas 12 das 27 unidades da federação têm programas de coleta seletiva de lixo e ou de instalação de postos de coleta de produtos visando a reciclagem. Na área de mudanças climáticas, apesar de 26 adotarem ações de combate a queimadas e desmatamentos ilegais, 16 cuidam da prevenção de desastres naturais, 14 do monitoramento da qualidade do ar e apenas 10 se preocuparam em realizar um inventário de emissões de gases de efeito estufa.

Apesar dos resultados ainda tímidos em questões ambientais importantes, a educação ambiental parece cada vez difundida no País. Apenas cinco Estados não desenvolveram qualquer tipo de programa em 2013 sobre o tema: Amapá, Sergipe, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, o que é explicado pelo IBGE pelo fato de a legislação federal sobre tema ser recente (de outubro de 2012). Programas de ecoturismo e de agricultura sustentável abrangiam apenas 13 Estados. (Fonte: Terra)