Autoridades sírias recuperam antiguidades roubadas de Homs

A Síria expropriou nesta quinta-feira (27) oito peças dos séculos I e II d. C. roubadas em diferentes sítios arqueológicos e encontradas perto da cidade monumental de Palmira, na província central de Homs.

O curador do Museu de Palmira, Khalil al Hariri, disse à agência de notícias oficial Sana que as antiguidades recuperadas incluem duas cabeças de religiosos, feitas em calcário: o busto de um sacerdote e parte da estátua de uma mulher.

Os objetos foram retirados de vários lugares por “grupos terroristas armados”, que os esconderam nos Hortos de Palmira à espera de contrabandeá-los para fora do país, divulgou a agência.

Agora um grupo de especialistas está estudando e documentando essas peças.

Antes do início do conflito na Síria, em meados de março de 2011, as ruínas de Palmira, com seus teatros e templos, eram um dos principais centros turísticos do país árabe.

A cidade é um dos seis lugares sírios inscritos na lista do Patrimônio da Humanidade da Unesco, junto de Damasco, Bosra, do oásis de Palmira, o Krak dos Cavaleiros e Qal’at Salah El-Din (Cidadela de Saladino) e os antigos vilarejos do norte da Síria.

Todos estes locais também estão na lista do Patrimônio Mundial ameaçado pela atual situação na Síria. (Fonte: Terra)