Governo confirma 16 casos de chikungunya transmitidos no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou, nesta terça-feira (23), que foram identificados, ao todo, 16 casos autóctones de febre chikungunya no Brasil até o momento. Casos autóctones são aqueles contraídos dentro do próprio país. São dois casos no Oiapoque, Amapá, e 14 em Feira de Santana, Bahia. O país registrou também outros 37 casos importados, de pessoas que contraíram a doença em viagens a outros países.

Na terça-feira passada (16), o ministério já tinha anunciado os dois primeiros casos de transmissão interna do vírus no país. Na ocasião, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, afirmou que a pasta preparava uma série de medidas de conscientização para evitar a disseminação da doença. “Vamos reativar a iniciativa do Dia D de Mobilização, ainda em 2014, para que as famílias consigam evitar, dentro de casa, os focos de mosquito”, citou.

Outra medida citada pelo secretário na semana passada foi a expansão do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), índice que mede a presença do mosquito que transmite a dengue e o chikungunya. Segundo ele, o mapeamento é feito em cerca de 1,8 mil municípios, mas o ministério quer ultrapassar a marca de 2 mil municípios agora em outubro.

“O índice sai em novembro, e dá aos prefeitos a informação detalhada por bairro, por região. Isso dá aos municípios cerca de dois meses para se preparar, antes que comece a transmissão. É o período para mutirão de limpeza, para a visita casa a casa”, disse.

Como a contaminação teve início na região Norte do país, é possível que a expansão da doença seja mais lenta, segundo Barbosa. “Geralmente, a entrada da doença é pelo Rio de Janeiro, nossa maior entrada tropical de turistas. Mas queremos deixar claro que onde há mosquito da dengue, pode haver contaminação pelo chikungunya”, explicou. (Fonte: G1)