Carcaça de baleia é retirada da Praia de Camburi, em Vitória/ES

A baleia da espécie jubarte que havia sido encontrada morta na Praia de Camburi, em Vitória, na manhã de domingo (5), foi retirada do local na tarde desta segunda-feira (6) através de uma operação montada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Um trecho da Avenida Dante Micheline precisou ser interditada para o serviço, o que causou intenso congestionamento no local. A retirada da carcaça do animal atraiu curiosos. A operação foi finalizada por volta das 17h e a carcaça foi levada para um aterro sanitário.

De acordo com profissionais do Instituto Orca, o mamífero pesava cerca de 10 toneladas e estava em estado de decomposição quando foi encontrado, correndo risco de explodir. A área onde ele estava foi isolada. Os profissionais do instituto e da prefeitura começaram a montar estratégias para retirar a carcaça ainda no domingo, para evitar o risco de contaminação da água.

A remoção ocorreu na tarde desta segunda, mas a preparação da área começou ainda durante a manhã, quando um trecho do trânsito foi interditado, por causa do maquinário pesado usado no serviço. Cinco secretarias municipais e órgãos ambientais estiveram envolvidos na ação.

O serviço atraiu muitos curiosos ao local. Um deles foi a estudante de Direito Luciana Reis, de 21 anos, que passava de ônibus pela orla de Camburi e resolveu descer para acompanhar a retirada do animal. “Vi uma movimentação grande e senti um cheiro muito forte, estranho. Resolvi descer e vi que estavam retirando a baleia. Ela era enorme, era uma cena que só se vê uma vez na vida. Achei que ela não fosse caber no caminhão, pois ela era enorme, mas assim que o guindaste levantou ela, saiu muito líquido e ela murchou. Coube direitinho”, relatou a jovem.

A coordenadora de fiscalização ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Priscila Viana Alvarino, contou que a operação foi um sucesso e que o animal foi levado para um aterro sanitário específico. “Houve alguma dificuldade na remoção porque o local que ela estava era de difícil acesso e ela era muito grande, então foi preciso aguardar a chegada de um maquinário específico para a retirada. Uma contenção no trânsito foi necessária, mas tudo correu bem. Ela foi levada para o aterro sanitário da empresa Marca Ambiental”, contou. (Fonte: G1)