Ebola continua se propagando e número de mortos chega a 3.879

A pior epidemia de ebola já registrada matou 3.879 pessoas, de 8.033 casos até o dia 5 de outubro na África Ocidental, de acordo com um balanço divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (8). Não há evidência de que a epidemia esteja sob controle.

Libéria e Serra Leoa têm respectivamente apenas 21% e 26% dos leitos necessários para atender os pacientes infectados pelo vírus. Os países vizinhos foram avisados para se prepararem para a propagação da doença através das fronteiras, de acordo com a Reuters.

Morte nos EUA – Nesta quarta-feira, morreu o homem de nacionalidade liberiana diagnosticado com ebola no Texas, informou o hospital de Dallas. Thomas Eric Duncan havia tomado um medicamento experimental chamado brincidofovir no último sábado (4), quando seu estado de saúde passou de grave a crítico, segundo o Hospital Presbiteriano do Texas, em Dallas.

Duncan foi a primeira pessoa diagnosticada com ebola nos Estados Unidos e acredita-se que ele tenha sido infectado na Libéria.

Moradores da capital liberiana acreditam que Duncan pegou a doença quando ajudou uma mulher enferma a entrar em um táxi para ser levada ao hospital.

Reforço em triagem nos EUA – Autoridades da área da saúde nos Estados Unidos disseram que revelariam dentro de alguns dias novos procedimentos de triagem para detectar o vírus ebola nos aeroportos do país, a fim de lidar com a preocupação do público com a possibilidade de um surto.

“Estamos trabalhando intensivamente no processo de triagem tanto nos lugares de origem quanto na chegada”, disse o dr. Thomas Frieden, diretor do Centro de Controle de Doenças e Prevenção (CDC, na sigla em inglês), falando a repórteres na terça-feira.

Segundo a Casa Branca, entre os aeroportos com escaneamento extra estão John F. Kennedy, em Nova York, Liberty em Newark, Dulles em Washington, Chicago O’Hare em Chicago e Hartsfield-Jackson em Atlanta. “Esses aeroportos são o destino de 94% dos indivíduos que viajam aos EUA vindos dos três países afetados pelo ebola”, disse o porta-voz da Casa Branca Josh Earnest.

Ebola na Europa – Após a confirmação do primeiro caso de contaminação na Espanha, a Comissão Europeia pediu ao governo explicações sobre as falhas do sistema de saúde que provocaram o contágio de uma auxiliar de enfermagem em um hospital de Madri.

A auxiliar de enfermagem contraiu a doença no hospital de Madri. Ela integrou a equipe que atendeu os dois missionários que morreram vítimas do ebola depois que foram repatriados da África.

Há vários meses os Estados membros fazem um acompanhamento e coordenam os procedimentos nacionais a nível europeu para evitar a entrada do vírus no continente.

“Apesar do caso, não há inquietação na Comissão. A propagação do vírus na Europa continua sendo uma hipótese altamente improvável”, afirmou Vincent. (Fonte: G1)