ONG de Jundiaí/SP recebe animais feridos em incêndio na serra

A chuva que caiu sobre a região de Jundiaí (SP) na noite desta segunda-feira (20) apagou quase todos os focos de queimada nas serras do Japi, os Cristais e Guaxatuba, segundo a Defesa Civil de Cabreúva (SP). De acordo com especialistas, o incêndio que durou mais de dez dias causou prejuízos incalculáveis ao meio ambiente. Mais de 500 hectares de mata nativa foram destruídos. Além da vegetação, muitos animais morreram e diversos ficaram feridos as tentar fugir das chamas.

A ONG Mata Ciliar, que acolhe e cuida de animais silvestres, abriga centenas de bichos de várias espécies. “O fogo é muito perverso, porque muitos deles (animais) acabam morrendo nos ninhos, nos abrigos, por não ter para onde fugir. A primavera é o auge do nascimento, da cria e, infelizmente, estes animais acabam não resistindo”, afirma Cristina Harune Adania, veterinária coordenadora de fauna da entidade.

De todos os setores da ONG, a maternidade é o local com maior número de animais. Filhotes de corujas, saguis e gambás perderam os pais nos incêndios. Sem proteção, os órfãos precisam de cuidados especiais para não morrer.

“Tem bicho que trata na seringuinha, tem a ave que trata com frutinha no bico, alguns têm que caçar insetos, então, cada um tem uma exigência própria”, explica o diretor técnico Lázaro Puglia.

Os gambás são maioria: 80 filhotes. Os voluntários trabalham para que eles consigam se adaptar novamente à natureza. “Impossível avaliar a perda que tivemos. A consequência da falta de água, por exemplo, já é consequência da destruição da mata de muitos e muitos anos”, completa a veterinária. (Fonte: G1)