MMA acompanha o diagnóstico de comunidades rurais do Piauí

Equipe do Programa Água Doce do Ministério do Meio Ambiente estará no Piauí, durante toda esta semana, acompanhando a fase de diagnóstico de mais de 90 comunidades do semiárido do estado. Com isso, chegará a 201 o número de localidades inspecionadas. Neste grupo serão selecionados os locais para a instalação de 67 sistemas de dessalinização, que assegurará o fornecimento de água de qualidade para 26 mil moradores, a um custo de R$ 13 milhões. “Essas pessoas vão deixar de depender de caminhão pipa para matar a sede, cozinhar”, declarou o coordenador estadual do Programa Água Doce, Romualdo Militão dos Santos.

As informações coletadas envolvem várias questões: educação, saúde e estrutura das comunidades, entre outros aspectos. “É uma pesquisa mais aprofundada que vai servir para o Água Doce, mas também ficará disponível para outros ministérios e o governo do estado”, acrescentou Militão. “Todo mundo poderá acessar as informações.”

Critérios – Os sistemas ofertam continuamente água potável para o consumo humano, criação de animais e cultivo de hortaliças. O programa prioriza as regiões em situações mais críticas. Lugares com os menores índices de Desenvolvimento Humano (IDH), altos percentuais de mortalidade infantil, baixos índices pluviométricos e com dificuldades de acesso aos recursos hídricos serão os primeiros a serem contemplados. Assim como o Índice de Condição de Acesso à Água do Semiárido (ICAA), desenvolvido a partir do cruzamento dos mesmos indicadores.

Coordenado pelo MMA, o programa é uma ação do governo federal com o objetivo de estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano. (Fonte: MMA)