Militares são treinados para evitar contaminação na Antártica

Equipes operacionais que atuam na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) receberam, esta semana, dois dias de treinamento destinados a capacitá-los a identificar as situações de risco de ocorrência de acidentes ambientais envolvendo vazamento de óleo. Trata-se de iniciativa do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em parceria com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a Petrobras.

O curso de 16 horas foi ministrado na Universidade Petrobras, Rio de Janeiro, por especialistas em emergências ambientais e áreas contaminadas para um grupo de 26 pessoas, entre militares da Marinha do Brasil e servidores civis.

Capacitação? – “A capacitação teve o objetivo principal de sensibilizar os militares a adotar procedimentos destinados a prevenir contaminações ambientais em suas atividades cotidianas, além de prepará-los para ações de emergência em caso de acidente”, esclarece a analista ambiental do Departamento de Biodiversidade Aquática, Mar e Antártica (Dmar/MMA), Bianca Chaim Mattos, integrante da equipe de instrutores.

Especialistas detectaram que o solo da área ocupada pela EACF foi contaminado pelos sucessivos vazamentos de óleo registrados ao longo dos 30 anos de operação da base brasileira. Bianca Mattos disse esperar que o treinamento seja realizado todo ano para capacitar cada equipe nova da Marinha do Brasil designada para servir na estação e nos navios polares de transferência de combustível.

Após o incêndio ocorrido em 25 de fevereiro de 2012, equipes do MMA e do Ibama acompanharam o desmonte da Estação Comandante Ferraz e a instalação dos Módulos Antárticos Emergenciais (MAE), um complexo provisório para abrigar cientistas e militares brasileiros na região. A preocupação do MMA é evitar a ocorrência de um novo acidente ambiental, principalmente com óleo combustível e outros produtos perigosos. (Fonte: MMA)