Sociedade terá voz nas políticas de adaptação climática

A população participará da construção de estratégia de enfrentamento aos impactos do aquecimento global. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou, nesta terça-feira (04), chamada pública para subsidiar a elaboração do Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima. Com o objetivo de garantir a inclusão e dar transparência ao processo, as sugestões serão recebidas até 15 de dezembro de 2014.

Aberta ao público em geral, a chamada pública possibilitará a participação dos interessados no desenvolvimento de políticas públicas ligadas à adaptação. Além de fomentar o engajamento e a conscientização sobre o assunto, a medida alimentará os gestores públicos com informações e contribuições que podem fazer parte do texto final do plano. Os subsídios recebidos serão avaliados pelo Grupo de Trabalho Adaptação, formado por integrantes do Executivo Federal e do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas.

Integração – O secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do MMA, Carlos Klink, destaca que a participação social é fundamental para o sucesso do plano. “Estamos dando mais um passo importante na Política Nacional sobre Mudança do Clima”, afirma Klink. “Há uma construção cada vez mais integradora das ações de adaptação com o que já está em curso na área de mitigação. Com a construção do plano, o governo brasileiro está mostrando que tem uma visão de longo prazo, essencial nesse processo.”

O lançamento da chamada antecede a 20ª Conferência das Partes sobre Mudança do Clima, das Nações Unidas, que será realizada em dezembro em Lima, capital do Peru. De acordo com Klink, a iniciativa confirma o papel de destaque desempenhado pelo Brasil perante a comunidade internacional. “Será discutido o novo acordo climático global. É um momento de extrema relevância para mostrar que estamos fazendo a nossa parte”, explica o secretário.

Efeito estufa – Apesar de considerado um fenômeno natural, o efeito estufa tem sido intensificado nas últimas décadas acarretando mudanças climáticas. Essas alterações resultam do aumento descontrolado das emissões de gases como o dióxido de carbono e o metano. A liberação dessas substâncias é consequência de diversas atividades humanas, entre elas o transporte urbano, o desmatamento, a agricultura, a pecuária e a geração e o consumo de energia. (Fonte: MMA)