Lagosta que perdeu patas e garra se regenera e surpreende pesquisadores

Funcionários de uma incubadora de lagostas no Reino Unido se surpreenderam com a regeneração de um exemplar deste crustáceo, que recuperou as quatro patas e a garra do lado direito de seu corpo graças ao seu processo de regeneração natural, chamado de muda.

Os pesquisadores do centro de conservação de lagostas em Cornwall publicaram uma foto em uma rede social que mostra o “antes e o “depois” do espécime batizado de “Clawdia”, um trocadilho em inglês, já que claw significa garra em português.

De acordo com o “Daily Mail”, publicação britânica, Clawdia foi resgatada por pescadores há quatro meses e encaminhada à instituição. Lá, descobriram que a lagosta iria depositar ovos em breve.

A regeneração aconteceu durante este período, algo incomum de ocorrer em cativeiro, segundo os cientistas, já que o crustáceo costuma realizar a muda (nome dado ao processo de recomposição) no mar.

As mudas ocorrem até duas vezes por ano nas lagostas adultas. Uma carapaça dura (chamada de exoesqueleto) protege seu corpo, que cresce até o momento em que o esqueleto externo começa a apertá-lo.

É nesse momento que o animal se liberta dele, desenvolvendo um novo exoesqueleto ao longo do tempo. Esse processo acontece enquanto as lagostas vão crescendo – o que ocorre ao longo de toda a vida do animal. (Fonte: G1)